Negar a óbvia insatisfação de parcela significativa da população olindense com seu governo, refletida nas diversas e importantes pré-candidaturas que se apresentam para disputar a prefeitura, confirma a cegueira política do prefeito Professor Lupércio, provocada pela arrogância.

Vale registrar, sem prejuízo de outras, importantes pré-candidaturas postas na cidade: Celso Muniz (empresário, sócio do grupo que construiu e administra o Shopping Patteo Olinda); Jorge Federal (vereador no seu quarto mandato, e atual presidente da Câmara Municipal de Olinda); Antônio Campos (disputou o segundo turno contra Lupércio em 2016, e preside a Fundação Joaquim Nabuco); Armando Sérgio (antigo aliado de Lupércio, empresário, já foi candidato a prefeito algumas vezes e detentor de influência política e eleitoral na cidade); Pedro Mendes (ex-vereador, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Olinda e ex-vice-prefeito de Ipojuca; João Paulo (olindense, ex-prefeito do Recife por duas vezes e muito bem avaliado, ex-deputado estadual e federal, atualmente exercendo mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco, importante liderança política de Pernambuco.

Todos são legítimos postulantes e vitimados pela arrogância e prepotência do atual prefeito, que faz uma leitura equivocada e inconsequente do cenário político da nossa cidade.

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda” (Provérbios 16:18).

Lupércio comete dois erros, para dizer o mínimo. Erra ao subestimar seus possíveis opositores, e tende a ser surpreendido pelas urnas pois a insatisfação, as críticas e o desejo de mudança é crescente no seio do povo, produzindo uma grande quantidade de opositores ao seu governo. E erra novamente ao superestimar sua medíocre gestão, que pouco tem para mostrar.

No que pese ter tantos e tão variados opositores, o principal adversário do prefeito é seu próprio governo ineficaz e inoperante. Praticamente tudo que realiza tem uma mesma matriz: está concluindo obras iniciadas, ou executando recursos captados pelo governo anterior.

Mesmo sendo aliado de primeira hora do governo Bolsonaro, não consegue atrair recursos e obras para a cidade. E numa atitude desesperada de buscar uma marca para seu governo, tentou endividar a cidade e agora inicia uma obra da Av. Presidente Kennedy sem ter recursos para concluí-la. Numa clara ofensiva eleitoreira, quer enganar os cidadãos olindenses.

“A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra” Provérbios 29:23

Este governo não sobreviverá politicamente à comparação com gestões anteriores, e aos projetos avançados que devem ser lançados para que Olinda retome seu lugar de destaque no estado de Pernambuco. O prefeito terá que mostrar seu palanque, e dizer a que veio.

Os olindenses não são tolos, e entenderão o que está em curso. Essa absoluta falta de humildade e respeito à sabedoria popular deverá custar-lhe o mandato, sendo punido nas urnas, findando essa aventura inconsequente que chama de governo, porque Olinda merece muito mais que isso.

(*) Luciano Moura é presidente do Comitê Municipal do PCdoB de Olinda.